Mensagem da Presidência
01/05/2012
Boletim Informativo – Ano 06, Junho de 2012 – Número 02
22/06/2012
Exibir tudo

Coaching Executivo e Empresarial no Brasil e no Mundo

COACHING NO BRASIL
A ABRACEM esteve representada nos últimos meses em vários eventos da área de RH em várias cidades brasileiras:

1. São Paulo (junho/2011) – Apresentação sobre Formação de Coaches Executivos e Empresariais reconhecida pela ABRACEM no Grupo de Excelência de Coaching do Conselho Regional de Administração – São Paulo a cargo de Rosa R. Krausz.

2. Londrina (Setembro/2011) – Apresentação sobre Coaching Executivo e Empresarial no Congresso Latino-Americano da ABTD-PR a cargo de Rosa Krausz.

3. Brasília (Outubro/2011) Palestra na AMCHAM - Câmara Americana de Comércio sobre Coaching Executivo e Empresarial como Estratégia para o Desempenho Organizacional a cargo de Rosa R. Krausz.

4. Curitiba (Outubro/2011) Coordenação do Programa Científico do XII CONPARH sob os auspícios da ABRH-PR a cargo de Cleila Lyra.

5. Curitiba (Outubro/2011) Talk Show Coaching: O Risco da Banalização. Participação de Rosa R. Krausz e moderação de Sonia Gurgel.

6. Porto Alegre (Março/2012) Fórum de Coaching da ABRH-RS Apresentação sobre a ABRACEM a cargo de Rosa R. Krausz.

FORMAÇÃO DE MEMBROS DIDATAS / MASTER COACHES DA ABRACEM
Esta Formação estará aberta aos membros Certificados da ABRACEM que tiverem interesse em preparar-se para fazerem parte do grupo de futuros formadores de Coaches Executivos e Empresariais reconhecidos pela ABRACEM.

Para informações adicionais e pré-inscrição, favor entrar em contato via e-mail rokra@terra.com.br

COACHING NO MUNDO
Nos dias 21 e 22 de outubro de 2011 e Liana Gus Gomes, membro certificado da ABRACEM no R.G. do Sul participou em Boston do seminário "Coaching in Medicine & Leadership", evento vinculado a Harvard Medical School and McLean Hospital.

O Seminário tinha em torno de 3000 participantes do mundo todo, mas somente eu do Brasil.

Alguns comentários da Liana sobre as reflexões fruto da participação no evento:

"Minha formação acadêmica é um psicologia, trabalho a mais de 23 anos na área de Recursos Humanos e desde de 2009 venho atuando como Coach Executiva Empresarial, depois de terminada minha formação pela ABRACEM.

Busquei este Seminário como forma de me atualizar no tema, ou seja, ter uma perspectiva mais ampla/global desta atividade ainda recente, sem regulamentação, mas amplamente utilizada.

Para minha surpresa, estes impasses que vivemos aqui no Brasil são os mesmos que encontrei nos vários depoimentos que ouvi durante estes dois dias, ou seja, que o Coaching ainda é uma prática recente, mas muito poderosa e, como tal, merece muito estudo, pesquisa, publicações, mas acima de tudo uma postura ÉTICA e comprometida de quem a exerce.

Como pano de fundo de todo o Seminário, a qualidade de vida foi extremamente exaltada, no sentido que toda a mudança a qual o indivíduo de propõem deve envolver seu ambiente e suas relações, ou seja, a inter-relação entre os “dois mundos”: Health Care e o Executive Coaching.

Neste sentido, me defrontei com áreas de atuação do Coaching até então desconhecidas por mim, como por exemplo, a área da Saúde. Existem vários profissionais desta área (enfermeiros, por exemplo ) desenvolvendo belíssimos trabalhos em equipes multidisciplinares, visando a sensibilização e mudanças de comportamentos em pacientes com doenças crônicas, como a diabetes, por exemplo.

A Psicologia Positiva e Cognitiva foi uma das grandes bases teóricas dos vários estudos apresentados.

No entanto, na minha perspectiva/propósito o ponto alto do Seminário foram a conferência e o laboratório que participei com o grande Mestre Manfred KETS DE VRIES.

Manfred apresentou seus estudos e trabalhos de Coaching Executivo desenvolvidos em grandes corporações, bem como no INSEAD Global Leadership Centre. Ratificar os conceitos, princípios, valores e postura com aquele que é considerado uma referência em Liderança e Mudança Organizacional foi, sem dúvida, marcante! É muito bom saber que estamos em um caminho reconhecido mundialmente.

Como avaliação geral, ampliar os “horizontes”, ouvir práticas reconhecidas, atualizar-me nas mais recentes pesquisas e RATIFICAR nossa forma de atuação foram, sem dúvida, os pontos altos de minha participação neste Seminário."

Esta notícia foi escrita por:
Editorial, equipe ABRACEM em 01/05/2012